domingo, 12 de maio de 2013

UMA MULHER

Os cristãos católicos e ortodoxos vêem em Maria, o modelo de santidade, porque a vida daquela que deu um corpo ao Verbo de Deus, é o modelo da Encarnação. Maria não "fez" grande coisa. Em relação a Francisco de Assis ou Madre Teresa de Calcutá, a vida dessa pequena judia de Nazaré é bastante insignificante. No entanto, a santidade cristã não está no âmbito do fazer, mas do ser. A Igreja contempla em Maria aquela que, por seu "sim" deixou o Espírito de Deus modelar toda sua humanidade. A vida de Maria foi um grande "sim". Maria é o protótipo da vida cristã; aquela que nos mostra por antecipação nossa própria realização. Maria é também a mãe que nos mostra seu Filho. Ela convida a adorar não um Cristo fantasioso, mas a dirigir nossa vida para o Deus que se tornou homem, a fim de que sua encarnação regenere a nossa. Um pastor protestante me disse um dia: "Para nós protestantes, Maria é um desvio inútil para se chegar a Cristo". Eu lhe respondi: "Para nós católicos, Maria é um atalho".

E. de Beukelaer ( Espiritualidade do Ano - RIC. p. 17)