terça-feira, 26 de março de 2013

"VI JESUS CRAVADO NA CRUZ"


"Vi Jesus cravado na cruz. Seu olhar era tão doloroso e tão terno. Ele me perguntava se eu o amava.- Respondi que sim. estava com o coração partido, vendo-O tão sofredor. Pouco a pouco Ele me disse: ´É por você que eu sofro`. Então senti que o amava mais ardentemente - Ele acrescentou: ´Você sentirá, sempre mais, meu amor por você, ardendo no seu coração, quando souber sofrer e, quanto mais sofrer, mais se tornará generosa e mais consolará meu coração`. O mais tocante de tudo que senti foi a certeza de jamais sofrer fora da presença de meu Jesus e de nunca sofrer sem que meu sofrimento consolasse o doce coração de meu Jesus."


Este texto de Madre Agathe Verhelle revela muito bem a rica e fecunda intimidade que se travava em seu íntimo com Jesus. Ela transmite através de seus escritos espirituais, tão grande familiaridade com a Pessoa de Jesus Cristo, a ponto de experimentar em si, o que Santo Inácio de Loiola chama de "aplicação dos sentidos", ou seja, ela contempla Jesus sofrendo, vê como Ele está, sente o que Ele sente, escuta o que Ele fala... e tira proveito espiritual dessa rica contemplação. O grande proveito desta experiência, trata-se de aprender com Jesus Cristo o "saber sofrer". Aprender com Ele a sofrer. Sofrer sem reclamar, sem sentimento de autopiedade, sem culpar as pessoas... sofrer diante da presença dEle, como Ele sofreu diante da presença do Pai. O ser humano não pode fugir do sofrimento, pois ele lhe é inerente. O mérito está em como sofrer, ou no que fazer do sofrimento. E neste sentido, Jesus Cristo, o Filho de Deus feito homem, que viveu em nossa carne e sofreu as dores que nós mesmos impusemos a Ele, soube sofrer e fez do sofrimento um caminho significativo para nossa Redenção. Ele que não merecia sofrer, sofreu em si as nossas dores, a fim de trazer-nos a verdadeira Vida: Ele mesmo - agora vivo para sempre - para que NELE tenhamos a Vida Eterna.

sábado, 2 de março de 2013

JOSÉ, UM HOMEM JUSTO


Ao iniciarmos o mês de março, voltamos o nosso olhar para o querido e devotado São José, pedindo que ele nos ensine a verdadeira justiça, sinônimo de santidade. Contemplamos, nesta ocasião, todos os homens e todas as mulheres justos e justas desde o início da Igreja, até os nossos dias, pois souberam e sabem desejar, lutar e buscar até encontrar e morrer pelo Único essencial.
Que nós, mulheres e homens da terra, através da intercessão de São José, saibamos morrer a nós mesmos(as) ao nosso amor próprio e atitudes egoístas, para que assim, mais livres, possamos abraçar o essencial, o Bem que não passa, revelado a nós desde toda eternidade, e, em nossos dias, pelo Espírito, a todos que vivem da fé.
Que a justiça vivida por São José, seja exemplo para todos os cristãos de que tudo na vida passa e que o essencial está no mais profundo de nós, em movimento constante, como pequeno reflexo da Verdadeira Completude que há de vir.

ORAÇÃO A SÃO JOSÉ

Salve, José!
Filho de Davi,
Educador exemplar de nosso Senhor Jesus Cristo.
Piedoso São José,
rogai por nós que somos vossos filhos
que tomaste sob a vossa guarda
e sob a vossa poderosa proteção.
Amém!