terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

HOMENAGEM À MADRE AGATHE VERHELLE

Ó querida Mãe Fundadora, nosso olhar está dirigido a ti, em expressão de gratidão pelo bem empreendido por ti, neste mundo.

Há 190 anos atrás, nascia o nosso Instituto, fruto de tuas lutas junto com o Cristo, pelo Cristo e para o Cristo, a fim de trazer paz, amor e alegria aos corações dos jovens e de todos aqueles que fazem parte de suas vidas.
Qual  seria o sentido de nosso existir, ó mãe? O que faríamos aqui neste mundo, se nossa vida não se voltasse totalmente para Deus, a fim de glorificá-lo, sobretudo nos jovens? Essa é a causa de nossa alegria. Alegria interior, sentida, muitas vezes, no silêncio de nossas orações contemplativas, mas é também a causa de nossa inquietação, ao vislumbrarmos tantos rostinhos jovens sofridos, desiludidos e em busca de sentido, quando nos deparamos com jovens que insistem em desistir de lutar pela verdadeira vida e que se separam do Caminho, da Verdade e da Vida, julgando, estar fazendo o melhor para si. 
Este mês, de uma forma especial, duas datas nos fazem recordar com muito amor e gratidão, essa vida, vivida intensamente, vida abençoada, semente que caiu em terra boa e deu frutos 100 por um. 05 de fevereiro, data em que todo o Instituto festejou o dia de tua padroeira, Santa Águeda e 23 de fevereiro, quando celebraremos o dia em que Deus te trouxe ao mundo com este propósito que se cumpriu, com este sonho que se tornou real. Obrigada, querida mãe, Madre Agathe Verhelle. Abaixo, palavras que saíram do profundo de seu coração: